Anunciar a salvação é um mandamento divino

Evangelho significa Boa Notícia. Os discípulos, no primeiro século, anunciaram com grande entusiasmo e coragem o evangelho de Jesus. É preciso falar, hoje, com a mesma convicção, a mesma mensagem de boas notícias. As palavras de Jesus em Mc 16:15 devem nos encorajar a cumprir  com todas as nossas forças, o seu desejo. “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura”.

Mesmo num mundo cada vez mais cheio de tantos afazeres é preciso reservar tempo para falar de Jesus, para o ensino da Palavra de Deus. Quando Ele voltar teremos que prestar contas. Não há um único cristão que está desobrigado da ordem dada por Cristo de anunciar as boas novas. Não há como “terceirizar” esta tarefa.

A ordem dada por Cristo para anunciar o evangelho é para todos os cristãos, uma vez que o poder do Espírito Santo veio também para isso. “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, quanto em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra” (At 1:8).

Qual tem sido a sua posição, quanto à ordem de anunciar as boas novas de salvação?

Formas de Evangelizar

Evangelismo Pessoal

É a obra do Espírito Santo, através de um crente salvo que se aproxima de pessoas não salvas, para falar sobre a salvação de Deus em Cristo Jesus (At 8:26-39). É espontâneo e depende da oportunidade. Pode ocorrer a qualquer momento.

O evangelista precisa conhecer o plano de salvação para poder transmitir aos que ainda não conhecem Jesus. Há muitas pessoas que estão próximas de nós que precisam conhecer o plano de salvação. Ouse falar daquilo que você sabe, que já aprendeu.

Distribuição de folhetos

O folheto evangelístico é uma ótima ferramenta, acessível a qualquer uma de nós. Precisamos adquirir o hábito de ter sempre alguns exemplares conosco, que podem ser utilizados nos mais variados lugares e ocasiões.

Grupos de Estudos Bíblicos

Certamente devemos continuar estimulando as irmãs à distribuição de folhetos, à realização de cultos domésticos ou públicos, culto do amigo, cultos do reencontro, do resgate, chás evangelísticos e todas as demais formas que nos sejam possíveis. Qualquer trabalho evangelístico precisa de um programa de consagração, contendo muita oração, jejum e perseverança. Todas as sócias precisam ser envolvidas.

Precisamos falar de Jesus às pessoas da nossa família, parentes, vizinhos, colegas de trabalho, em hospitais, funerais, na fila do banco, do supermercado, nos transportes coletivos, nas escolas, comércio em geral, enfim, onde estivermos, devemos falar de Jesus.

Nestas conversas observamos o interesse que as pessoas têm, principalmente quando passam por problemas. O ideal é aproveitar cada oportunidade para oferecer um Estudo Bíblico e formar grupos de Estudos Bíblicos. O alvo é que cada Sofap tenha pelo menos 1 grupo de estudo Bíblico.

O preparo e as atitudes do Evangelista

A missão de quem está à frente de um grupo de Estudos Bíblicos é o de ensinar a salvação em Jesus, transformando os integrantes em discípulos de Cristo.

Para que se tenha êxito no trabalho é necessário que o evangelista esteja ciente de alguns requisitos básicos:

1.       Oração

A oração é uma ferramenta indispensável no dia a dia daqueles que estão a serviço de Cristo, uma vez que não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais (Ef 6:12).

Devemos estar cientes de que o inimigo tentará arrancar de alguma forma a semente do evangelho que está sendo lançada nos corações  dos alunos. Por isso é aconselhável que se ore antes de iniciar qualquer reunião de Estudo Bíblico. Peça a Deus que, através do Espírito Santo conduza satisfatoriamente o estudo da lição.

2.       Pontualidade

É imprescindível que o estudo inicie no horário combinado, pois o compromisso por parte do evangelista gera credibilidade e será bem visto pelos demais componentes do grupo. O tempo de duração deve ser em torno de uma hora.

3.       Gentileza

Mantenha o bom humor e bom senso. Não faça comentários negativos em relação a outras pessoas ou mesmo a alguma outra denominação religiosa. A ética nos ensina que só se permite citar nomes de pessoas ou denominações religiosas no sentido de valorizar seus pontos positivos. Mesmo quando for necessário mostrar nossas divergências doutrinárias, devemos fazer com seriedade e honradez – “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” (Cl 4:6).

4.       Entusiasmo

Mostre que você realmente gosta de ministrar estudos bíblicos e que tem convicção de que foi chamada por Deus para cumprir essa divina tarefa. Nunca reclame das dificuldades que surgirão à sua frente, principalmente perto dos nãos cristãos. Seja entusiasmada.

5.       Preparo

É aconselhável que o evangelista tenha pronto, uma hora antes do início da aula, tudo o que irá usar no estudo.

6.       Postura

Cuide para que todos possam se sentar em cadeiras próximas umas das outras, pois isso ajuda na participação e no envolvimento geral. Sente-se com todos, junto ao grupo. Sempre que possível, coloque as cadeiras em forma de U, pois facilitará o ensino e a dinâmica em torno do assunto exposto.

7.       Discrição

Seja discreto com aqueles que falam muito e também com os tímidos, que dificilmente terão a iniciativa de se pronunciar junto ao grupo, no sentido de não lhes causar constrangimento. Não faça perguntas que lhes tragam embaraços e evite piadas. Respeite a individualidade das pessoas, pois umas têm maior facilidade que outras no aprendizado. Todos devem ser amados e valorizados.

8.       Vestir-se com moderação

A simplicidade deve ser uma preocupação constante de todos os servos de Deus. É aconselhável que se evite a ostentação quanto à vestimenta.

9.       Higiene Pessoal

Em se tratando da aparência todos os cuidados devem ser tomados, tanto em relação à vestimenta quanto à higiene pessoal.

10.   Manter um tom de voz agradável

Evite mandar e exortar; fale com mansidão e respeito; utilize um tom de voz que não agrida os tímpanos das pessoas que estão sendo ministradas.

Quanto à didática no grupo de estudos bíblicos

Este é um investimento eterno, porque é feito em prol das almas que estão perdidas. Alguns cuidados devem ser tomados para que o grupo seja cada vez mais próspero:

1.       Perguntas

Quando possível utilize perguntas fáceis, relacionadas ao estudo do dia para serem respondidas pelos participantes, pois as pessoas aprendem mais quando tomam parte ativa no processo do ensino. Dialogue com os componentes do grupo. Deixe que dêem suas opiniões.

2.       Não seja demasiadamente formal

É preciso criar um clima em que as pessoas fiquem à vontade para participar das leituras bíblicas e expor comentários. O recomendável é que se use uma linguagem simples e fácil.

3.       Bíblia Sagrada

O instrutor pode utilizar variadas versões bíblicas, uma vez que determinados textos ficam mais claros numa determinada versão do que noutra.

4.       Liberdade

Permita que os alunos expressem comentários a respeito de suas vidas particulares. Alguns fazem isso com muita naturalidade. As pessoas precisam saber que você também se importa com os problemas pessoais delas.

5.       Respostas

Se for surpreendido com alguma pergunta e não estiver habilitado para responder naquele momento, prometa trazer a resposta no próximo estudo.

Cuidados básicos para o bom funcionamento do grupo de estudo bíblico

Líderes do grupo de estudos bíblicos

Tanto em casa de um cristão quanto na casa de um interessado, o número de ministrantes do curso bíblico não necessita ser superior a três. O grupo de estudos bíblicos deve ter foco exclusivamente evangelístico. Existirá com a finalidade exclusiva de se ministrar o curso bíblico para não cristãos.

Ausência

É necessário que se tenha um controle dos nomes dos alunos. Se algum deles faltar no estudo é bom um contato no dia seguinte. Caso a ausência persista o aluno deve ser visitado. 

Atenção

Dê a devida atenção ao momento de oração. Procure reservar pelo menos 5 minutos para esta parte.

Estudo com amigas

Você pode convidar suas amigas para irem até sua casa. Faça um convite bem bonito! Nós, mulheres, gostamos de beleza e simplicidade. Então capriche! Se não souber fazer, peça ajuda. Temos muitas irmãs habilidosas que podem ajudar.

No primeiro encontro inicie com um quebra-gelo, uma dinâmica. Isso vai proporcionar uma descontração e a apresentação das participantes.

Batata quente: Forme um círculo com todas as participantes. Prepare um brinde que deve ter várias embalagens (uma sobre a outra). Oriente o grupo que deverá passar o pacote de mão em mão, enquanto ouve uma música. Quando a música for interrompida a participante que segura o pacote deverá abri-lo, tirar uma embalagem, dizer seu nome, e continuar a brincadeira. Comunique que aquela que tirar a última embalagem realizará uma tarefa. A tarefa é ficar com o brinde. Sugerimos que seja uma Bíblia.

Sorteio diferente: Anotar em papéis o nome de todas as mulheres presentes. Explicar que a ganhadora do presente vai ser a última sorteada. Conforme vai acontecendo o sorteio, você pede para levantar a mão, assim o grupo irá se conhecendo. A última sorteada ganha um brinde que pode ser uma Bíblia. Em seguida inicie um Estudo Bíblico com elas.

Conclusão

“Eis que eu estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos” – Mt 28.20

Ele assumiu o compromisso de estar conosco como amigo e salvador. Devemos alimentar a esperança de que Ele está conosco em todas as horas.

O próprio Senhor Jesus nos diz: “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim” (Mt 24:14). Vamos, então, evangelizar e dizer: “Vem Senhor Jesus! Ora vem Senhor Jesus”! (Ap 22:20).

Fonte:  Aprendendo com Priscila – I e III

Roteiro para ações evangelísticas – slides

Categorias: Para o Trabalho